Associação Brasileira de Psicologia nas Emergências e Desastres - ABRAPEDE

Nenhum comentário 17/03/2013 às 21h58 - Atualizado em 17/03/2013 às 22h10

Chega a 645 o número de desabrigados pela chuva em São Sebastião (SP)

Compartilhe:

17/03/2013 – 17h24

Atualizado às 21h00.

A chuva que atingiu o litoral norte de São Paulo neste fim de semana causou transtornos para moradores e turistas da região neste domingo. Alguns deles chegaram a ficar ilhados em suas casas e hotéis.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as praias de Maresias, Boiçucanga e Camburi são as mais afetadas. “Os bairros estão embaixo d’água”, disse o sargento Jairson dos Santos, do 11º Grupamento. A profundidade da água em alguns pontos superou um metro.

O volume de chuva acumulado na cidade desde sexta-feira (15) era de 111,4 mm (litros por metro quadrado), de acordo com a Defesa Civil. Meteorologistas afirmam que o número equivale a quase a metade da chuva prevista para o mês todo na cidade.

Para se deslocarem, moradores de Maresias chegaram a utilizar caiaques e botes na manhã de hoje.

As ruas que dão acesso à pousada Toca da Praia estavam alagadas e cerca de dez hóspedes ficaram ilhados, tendo que esperar o tempo melhorar para voltar a São Paulo, afirmou a funcionária Miriam Lopes.

Marco Cesare Perrotti, 73, sócio da Villa’l Mare Hotel, de Maresias, disse à reportagem que a água da chuva transformou a rua Nova Iguaçu –em frente à pousada– em um rio, chegando a invadir a parte externa do estabelecimento.

“Por precaução, retiramos todos os hóspedes que estavam nos apartamentos do térreo e os realocamos para o andar superior”, disse.

Enchente em São Sebastião (litoral norte de São Paulo) deixa moradores e turistas ilhados Leia mais

Turistas hospedados em hotéis e pousadas também sofrem com a situação da cidade e da estrada. A Rio-Santos está bloqueada desde o final da manhã, quando uma barreira bloqueou totalmente o km 157 da estrada.

Segundo a prefeitura, outra barreira de mais de 5.000 metro cúbicos de terra caiu na estrada velha de Santos, no trecho que liga Juquehy à Barra do Una. A via foi interditada no local.

Em Maresias, as ruas que dão acesso à pousada Toca da Praia estavam alagadas e cerca de dez hóspedes ficaram ilhados, tendo que esperar o tempo melhorar para voltar a São Paulo, afirmou a funcionária Miriam Lopes.

Marco Cesare Perrotti, 73, sócio da Villa’l Mare Hotel, de Maresias, disse que a água da chuva transformou a rua Nova Iguaçu –em frente à pousada– em um rio, chegando a invadir a parte externa do estabelecimento.

“Por precaução, retiramos todos os hóspedes que estavam nos apartamentos do térreo e os realocamos para o andar superior”, disse.

O fornecimento elétrico estava normal na cidade. Ocorrências de quedas de árvores caídas e desmoronamentos afetaram sobretudo a rodovia Rio-Santos, e não a área interna dos bairros, afirmou Carlos Eduardo dos Santos, chefe da Defesa Civil de São Sebastião.

Santos disse ainda que a maior preocupação do órgão neste domingo era com as condições do mar, que apresentava forte ressaca e maré alta, o que represava parte das áreas alagadas.

O prefeito, Ernane Primazzi (PSC), lamentou a situação e disse estudar decretar estado de calamidade pública. Ele afirmou ainda que vai buscar recursos junto ao governo estadual para tentar acabar com os problemas.

Fonte: Folha de S. Paulo

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Logotipo ABRAPEDE

Copyright © 2012 - 2020 - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOLOGIA NAS EMERGÊNCIAS E DESASTRES. Todos os direitos Reservados

SBS Quadra 02, Bloco E, número 12, Sala 206 Sobreloja, Parte M8, Asa Sul - Brasília - DF - CEP: 70.070-120 - E-mail: abrapede.executiva@gmail.com