Associação Brasileira de Psicologia nas Emergências e Desastres - ABRAPEDE

Nenhum comentário 11/01/2013 às 23h12 - Atualizado em 13/01/2013 às 23h20

Chuvas já deixam dois mortos e afetam 200 mil pessoas no Rio

Compartilhe:

04/01/2013 – 14h29

As chuvas que atingem o Rio desde anteontem provocaram mais uma morte nesta sexta-feira. A vítima foi identificada como Roberto Magessi de Souza, 48, que foi atingido por uma árvore no Alto da Boa Vista, zona sul do Rio.

Segundo o Corpo de Bombeiros, Souza fazia a limpeza de uma caixa d’água próximo a uma encosta quando houve um deslizamento de terra com queda de árvores. Chovia no momento do acidente.

Uma outra morte já havia sido registrada ontem na região de Xerém, em Duque de Caxias, uma das cidades mais afetadas pelas chuvas.

A secretaria municipal de Assistência Social do Rio informou que, desde o início da tarde de ontem, 70 famílias ficaram desalojadas em decorrência da chuva na cidade. Os bairros mais prejudicados são Santa Cruz, Pedra de Guaratiba, Bangu e Inhoaíba, todos na zona oeste.

De acordo com a pasta, parte dos desalojados foi acolhida em dois abrigos emergenciais montados na zona oeste. Os atendidos foram cadastrados e receberam colchonetes, kits alimentação e de higiene pessoal.

 

 

A forte chuva que caiu desde a madrugada em Xerém, distrito de Duque de Caxias (RJ), levou destruição e deixou centenas de pessoas desabrigadas,casas foram destruídas pela força da correnteza e carros amontoados pelas ruas.

 

CHUVAS

Segundo balanço divulgado pela Defesa Civil no início nesta sexta-feira, as chuvas que começaram na noite de quarta-feira já afetaram cerca de 200 mil pessoas. Dessas, cerca de 2.500 estão desabrigadas ou desalojadas.

A Defesa Civil considera desabrigados os que perderam suas casas e estão em abrigo público. Já os desalojados saíram de casa e estão provisoriamente em casas de parentes e amigos.

Há ainda mais de 2.300 pessoas que não tiveram danos em suas casas, mas foram removidas por agentes públicos devido ao risco causados pelas chuvas em Angra dos Reis. Não há informações, no entanto, de quantas dessas pessoas retornaram para suas casas.

O Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos) informou em nota que um funcionário que trabalhava dentro da Reserva Biológica do Tinguá, na Baixada Fluminense, durante as enxurradas não foi encontrado após as fortes chuvas.

Segundo a empresa, havia um funcionário em cada uma das duas represas do local. Um deles ficou dentro do centro durante as chuvas e não sofreu ferimentos. Já Enéas Paes Leme não foi encontrado. O centro de operações não sofreu nenhum tipo de dano.

REUNIÃO

O ministro Fernando Bezerra (Integração Nacional) e o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), se reuniram na manhã desta sexta-feira, mas ainda não definiram os recursos emergenciais a serem gastos no Estado para recuperação de Xerém, distrito de Duque de Caxias atingido pela enchente provocada pela chuva de ontem.

Os dois pediram, porém, mudanças na legislação para contratação de obras emergenciais e justificaram atrasos nas intervenções em áreas de desastres naturais anteriores, como a região serrana.

O governo federal se comprometeu a enviar 5.000 cestas básicas para o Estado para abastecer as vítimas. Serão enviados ainda medicamentos e colchonetes para desalojados. O ministro afirmou que apenas na segunda-feira haverá estimativa exata dos gastos emergenciais, após confecção de relatório de danos.

Fonte: Folha de São Paulo


 

 

 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Logotipo ABRAPEDE

Copyright © 2012 - 2020 - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSICOLOGIA NAS EMERGÊNCIAS E DESASTRES. Todos os direitos Reservados

SBS Quadra 02, Bloco E, número 12, Sala 206 Sobreloja, Parte M8, Asa Sul - Brasília - DF - CEP: 70.070-120 - E-mail: abrapede.executiva@gmail.com